BrasilCNJ

Fake news: Justiça debate políticas contra ameaça à democracia

A mesa redonda que o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) realiza nesta segunda-feira (4/11) vai reunir magistrados, especialistas e parlamentares para tratar de soluções institucionais para os efeitos nocivos das notícias falsas, as chamadas fake news, à democracia. O evento no Plenário do CNJ vai discutir quais políticas públicas ou mecanismos de regulação o Poder Judiciário deverá adotar para fazer frente à ameaça que as fake news representam para reputações, valores democráticos, instituições e o próprio processo eleitoral.

A mesa-redonda “Políticas de Combate às Fake News” começará às 14h30 com palestra do professor assistente de Direito da Universidade Goethe de Frankfurt, Ricardo Campos. Especialista em Direito Constitucional, Direito Administrativo e Regulatório, Direito Digital e Regulação de Redes, além de proteção de dados, Campos falará sobre a responsabilidade das plataformas na internet – Facebook, Twitter e WhatsApp – nesse novo cenário em que se tornaram centrais na vida cotidiana e mediadores da esfera pública.

Além do professor Ricardo Campos, também foi convidado o professor adjunto do Departamento de Ciência da Computação da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Fabrício Benevenuto. O pesquisador escreve sobre a influência das fake news disseminadas via plataformas digitais nas eleições.

Após a palestra, iniciarão os debates, sob a coordenação do Secretário Especial de Programas, Pesquisas e Gestão Estratégica, juiz Richard Pae Kim. Foram convidados magistrados, como o ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) ministro Ricardo Villas Bôas Cueva, o secretário-geral do CNJ, desembagador Carlos Vieira Von Adamek, e o juiz auxiliar da Presidência do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e coordenador do Programa de Combate a Fake News do tribunal, Ricardo Fioreze.

Representantes do Poder Legislativo também estarão presentes. São eles: os senadores Antonio Anastasia (PSDB-MG) e Jacques Wagner (PT-BA) e o deputado Orlando Silva (PC do B-SP). Como representante da comunicação social, participará o assessor-chefe da Assessoria de Comunicação do Supremo Tribunal Federal (STF), Adão Paulo Martins de Oliveira.

Engajamento

Em junho deste ano, o CNJ lançou o Painel Multissetorial de Checagem de Informações e Combate a FakeNews. O Painel reúne organizações públicas (tribunais, associações de magistrados) e privadas (representantes dos meios de comunicação, da imprensa, advogados e agências de notícias e de checagem de conteúdos) para combater a proliferação de notícias falsas e conteúdos inverídicos veiculados na internet e em redes sociais.

A medida reiterou o propósito da campanha #FakeNewsNão, lançada pelo CNJ em abril deste ano. Em apenas um mês, houve mais de 2 milhões de impressões (vezes em que os tweets com a hastag #FakeNewsNão foram vistos).

Agência CNJ de Notícias

Notícias Relacionadas
BrasilCNJ

CNJ articula ações sobre raça no Justiça Presente

BrasilCNJ

CNJ informa mudança de sede

BrasilCNJ

Evento vai discutir mudanças na gestão de precatórios

BrasilMPF

Quarta fase da Operação Recidiva cumpre cinco mandados de prisão preventiva e 15 de busca e apreensão [Atualizada]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *